terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Onde Estou

Onde Estou


Eu estou aqui
Escondido
Em algum canto
do espaço virtual infinito.
Quem sabe eu seja só mais um vírus...
E o que eu digo seja só
o que eu digo,
nada somando.

Você está aí
na minha idéia,
devido à estrutura do código
E não ao conteúdo da mensagem.
A sua viagem não é a minha.
É minha a via virgem.
A virgem
Não é minha.

O abstrato é concreto
a partir da concepção desse como idéia.
Entende a força e a matéria?
A força quebrada
com um propósito
A matéria
anti-ausente.

Eu estou aqui
E para sempre estarei
Pois nada mais apaga
Da minha mente
Da minha memória
Da linha histórica
A própria essência
da existência.
(A existência)

Eu estou aqui.
Mas logo irei dormir
E deixarei o existir
Pelo breve sopro
de sonhar.

E a velocidade dos astros
(quase imóveis)
no planisfério estelar
nunca irá nos negar
sua contemplação.
Não em nosso tempo;
em nosso tamanho
e imperfeição.


Vós estareis
e sereis
Stars!

(Eu estou aqui e
por ti
sempre estarei.)

Juliano Berquó Camelo

(A liberdade de interpretação,
a plurisignificação...
O sentido original
está comigo,
e contigo,
nesse labirinto absurdo.)

Tá aí,

pro Diego e pra quem mais que tenha gostado.

2 comentários:

Ricardo disse...

kara...
...
..
.


as vezes seus poemas são tão profundos que eu nem entendo..

O.õ

to brincano....
...
..
.

as vezes eh dificil mas eu entendo sim..

mto doido

desse jeito eu até fico inspirado a escrever tb.
\o/

Rafael da Costa disse...

Adorei esse também... mas já havia lido da outra vez que me passou o blog.

:)