sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Quando..

Quando..

Quando me canso
Do ranço do mundo
Lá no fundo eu quero
Só você.

Quando te ver não é o momento
E o sentimento é demais
A paz em meu espírito
É tudo que eu posso ter.

Quando o escrever já for mecânico
Sem amor (sem razão)
Então rasgarei o véu
E o céu será pra sempre
Pra nós dois.


Juliano Berquó Camelo

Dedicado à Maíra.

Composto durante a leitura d' "A natureza do espaço",
de Milton Santos.
Sobre o ranço do mundo..

3 comentários:

maira disse...

que sorte a minha, meu amor...^^
ficou lindo, vc sabe o tanto que eu aprovei..
e eu gosto muito do que vc escreve, mesmo qdo os versos não são pra mim.. amo demais!

nanda tosta disse...

oi juliano! adoro esse `quando` incansavel dos momentos, pra variar um pouco do `se` sempre tao esperancoso.. um abrasss

maira disse...

muito amado..